background-image

Tipologias

Porta ou Janela?

Ainda existe uma dúvida grande entre a diferença entre portas e janelas então vamos esclarecer essa situação antes de falarmos das tipologias, pois uma tipologia em alguns casos se aplica a porta ou a janela e não muda sua terminologia devido a isso.

Porta: tem a finalidade de permitir (quando aberta) ou impedir (quando fechada) o acesso entre ambientes.

Janela: tem a finalidade de permitir entrada de iluminação e/ou ventilação entre ambientes.

Então se tem acesso é porta, caso não é janela... Simples né!

 

Tipologias

 

A tipologia é a forma de classificar uma janela pelo tipo de movimento de suas folhas, desta maneira as Janelas de PVC têm uma infinidade de possibilidades de tipologias, principalmente devido a sua robusta estrutura que permite a adaptação da grande maioria de acessórios e roldanas disponíveis no mercado. A tipologia mais utilizada e difundida no Brasil é a de correr, praticamente todo brasileiro tem uma dessa em casa, formada por trilhos onde as folhas deslizam durante a abertura e fechamento, mas existem inúmeras possibilidades e é necessário abrir a mente para perceber que existe uma Janela certa para cada ambiente e necessidade.

Obs.: A nomenclatura de esquadrias é definida por Norma Brasileira: ABNT NBR 10.821-1 Terminologia

Vamos lá?

 

Janela de Folha Fixa

É quando a folha não se movimenta, isto é, ela apenas permite a entrada de luz e não de ar. A sua utilização é muito comum em vãos de escadas e na parte superior das paredes onde o acesso para movimentação é difícil, mas a luz natural pode ser aproveitada.

Janela de giro

Durante muitos anos foi a tipologias mais utilizada em Janelas no Brasil tanto que recebe inúmeras citações em poesias e músicas. Quem não consegue imaginar aquela bela moça abrindo as janelas pela manhã quase que como um espreguiçar? Então é exatamente este o movimento das janelas de rotação no eixo vertical, que esta janela possui. Em muitos locais encontramos o nome Janela de Abrir, o que é um termo redundante, afinal com exceção da janela de folha fixa todas as outras são janelas de abrir, e o termo utilizado deve ser janela de giro (o mesmo se aplica as portas).

Neste tipo de janela ainda existe duas possibilidades, abertura interior (quando o giro ocorre para dentro do ambiente) e abertura exterior (quando a projeção vai para fora do ambiente). Os dois casos são usuais e têm sua seleção devido primeiro a necessidade de espaço. A utilização de janelas de giro é muito em dois casos caso, primeiro em reformas tradicionais, retorfit e construções clássicas, que desejam apresentar este conceito arquitetônico (casa de fazenda/colonial) em seguida necessidade de desempenho acústico ou térmico, tendo em vista que este tipo de janela normalmente recebe borrachas de vedação entre a folha e o marco que melhoram em muito sua eficiência.

Janela de projetante ou de tombar

Nada mais é que a janela de giro, porém com o eixo horizontal. Sendo assim ela é chamada de projetante quando o eixo de rotação está na parte superior, e de tombar se esse eixo fica na parte inferior. O uso dessas tipologias é bem adequado quando se pensa e ambiente que necessitam de ventilação, principalmente em ambientes geradores de vapor, como cozinhas industriais por exemplo.

Esta Janela normalmente recebe acessórios de acionamento a distância sejam eles manuais ou automatizados (com motores), também é possível selecionar o lado de abertura, se interior ou exterior.

 

 

Janela pivotante

Diferentemente das portas pivotantes que normalmente pivotam em eixo vertical, as janelas de PVC pivotantes tem seu giro sobre um eixo horizontal. É uma tipologia muita rara, mas de extrema eficiência, diferente dos modelos verticais, pois a Janela de PVC pivotante possui dupla vedação e permite o direcionamento da ventilação para dentro do ambiente.

Também é comum já no mercado brasileiro a fabricação de portas de entrada, a entrada principal da casa com Perfis de PVC e sistema pivotante tradicional. Funcionando com pivôs que devem ser instalados de forma coincidente para forma um eixo imaginário vertical, permitindo assim o movimento da folha.

 

Janela de correr

Pode ser formada por várias folhas que deslizam de forma horizontal sobre o marco (trilhos) através de roldanas fixas nas folhas da janela. Este é tipo mais difundido de janelas no país e faz com que as pessoas muitas vezes optem por essa tipologia apenas por comodidade e conhecimento pré-concebido, mas apesar de muitos benefícios na questão de economia de espaço, ela tem uma limitação bem pronunciada na questão de ventilação.

O que acontece é que ao se abri uma janela de corre uma folha se sobrepõem a outra isso significa que no caso de duas folhas por exemplo o máximo de abertura para ventilação é de 50% do tamanho total do vão, o que em alguns casos não é suficiente para suprir a necessidade de troca de ar especificada em norma para determinadas regiões do país. Sendo assim, é melhor optar por uma quantidade de folhas ímpar, com 3 por exemplo onde a abertura chega 2/3 do vão.

Por mais que pareça a mais simples das janelas, vários detalhes devem ser levados em consideração quando esta tipologia é selecionada e achamos melhor separar em itens para que você cheque em qual situação se encontra:

- travamento e segurança

- persiana integrada

- pressão de vento

- desempenho acústico

- limpeza e manutenção

Janela integrada

Ao se usar o termo janela integrada se entende o conjunto formado por uma janela e uma persiana de enrolar que se movimenta através de deslizamento no plano externo. A função desta persiana é escurecer o ambiente. É sempre bom lembrar que a persiana, não tem função de segurança, isso é ela normalmente não possui pontos de travamento, apenas esconde dos transeuntes o que tem dentro do imóvel, quase como uma película escura em vidros de carro.

As persianas utilizadas em janelas de PVC podem ser tanto de PVC quanto de alumínio, afinal a função principal é impedir a entrada de luz, apesar de aumentar significativamente o conforto térmico.

Muitas pessoas ficam em dúvida sobre a motorização de persianas, isto é, automatizadas, seja por botoeira, controle remoto, ou integrado ao aplicativo de automação do imóvel, e nesta escolha existem prós e contras. Entre os contras o mais relevante no caso do uso de motores é a falta repentina de energia elétrica. Pode ser algo raro, mas normalmente quando isso ocorre abrem-se as cortinas para a luz natural iluminar, em sendo dia, porém não tendo eletricidade e as persianas estando fechadas, assim elas irão permanecer. A melhor maneira de evitar esse desconforto é a instalação de um aparelho de Nobreak como de computadores ao sistema de persianas, apesar de aparecer estranho é muito utilizado, e evita estes desconfortos. Já o contra da instalação de persianas manuais vem do acionamento manual por diversas pessoas, mais ou menos como um carro que é dirigido por muitos motoristas, cada um puxa a fita com uma intensidade de força, e isso faz com que o desgaste da persiana seja maior, é muito comum após 3 ou 4 anos de uso de uma persiana não motorizada a necessidade manutenção, pois o rolo acabou se deslocando dentro da caixa e precisa ser ajustado.

De uma forma geral as persianas podem ser instaladas em todos as janelas de correr, fixos e de giro com abertura interior, mas considere sempre o tamanho da caixa, pois ela ocupa parte do vão, então uma janela que será instalada em um vão 1,2m por exemplo, se a caixa possuir 20cm, o vão de luz da janela será de apenas um metro. Se sua vontade é utilizar persianas, sugerimos aumentar os vãos na altura para manter o mesmo vão luz das outras janelas do imóvel.

Fique atento ao tamanho dos panos que cada fornecedor pode fazer, em média eles são de 1,5m sendo que se sua janela tiver um comprimento maior que este a persiana será subdivida. Lembre-se que ao subdividir os panos é necessário a instalação de uma guia central, fique atento para que esta esteja sempre alinhada com os perfis das janelas, recebendo dessa maneira proteção de possíveis cargas.

Janela guilhotina

Largamente utilizada em prédio nas décadas de 1960 e 1970, hoje elas necessitam ser substituídas. Elas têm esse nome em lembrança ao equipamento de decapitação utilizado até, acreditem, o ano de 1977 (na França), e também é francesa a origem do nome que remete ao físico e revolucionário Joseph-Ignace Guillotin, responsável pela popularização de tal máquina.

Bem retornando a tipologia de mesmo nome para janelas, as janelas tipo guilhotina aqui no Brasil também em alguns casos causavam danos e acidentes a seus usuários, pois não tinham nenhum tipo de freio que evitasse que a ação da gravidade as trouxesse de encontro ao marco inferior com relativa força e peso. Elas se sustentavam abertas através de uma “borboleta”, uma espécie de dobradiça e apoiava a folha. Na verdade, esse modelo nada mais era que um sistema de correr sem roldanas que usava a força da gravidade para fechamento.

Com a evolução das janelas foram desenvolvidos acessórios que tornaram este tipo de janela além de mais segura muito mais eficiente e leve. Desta maneiro já é possível substituir as antigas janelas de madeira de prédios tradicionais, muitas vezes tombados ou históricos por tipologia idêntica, porém com funcionamento moderno, que se baseia na utilização de um contrapeso, instalado na janela, que evita que a mesma despenque.

Janela Maxim-ar

Também conhecida como projetante-deslizante é juntamente com a janela de correr uma tipologia largamente utilizada nas obras pelo país. A folha desta janela é movimentada para fora, isso significa que se trata de uma tipologia de abertura exterior que se movimenta em torno de um eixo horizontal com translação simultânea deste eixo. Isso significa que ao mesmo tempo que você empurra para fora a folha desta janela ela faz um movimento para cima circular.

Esta é uma tipologia de giro, e desta forma traz consigo os benefícios intrínsecos a este grupo de janelas, que são relativos ao desempenho superior aos sistemas de correr, muito devido a sua vedação por meio de borrachas e possibilidade de travamento muito ponto. É o modelo mais econômico quando falamos do grupo de janelas de giro, por isso vemos muito a sua utilização em ambientes comerciais, como quartos de hotel por exemplo, onde a estética muitas vezes é suprimida pela necessidade de economia energética e desempenho acústico.

Apesar de muito difundido o uso desta tipologia, e da mesma forma que as janelas de correr ser acrescida nos projetos quase que forma espontânea existem detalhes importante que devem ser levados em consideração. O primeiro deles, e talvez o mais importante é questão de ser uma esquadria que se projeta para fora, isso significa que ela deve ser instalada em paredes que não tenham passagem externa, como calçadas por exemplo, e quando isso ocorrer, a altura deve ser suficiente para evitar acidentes. A segunda questão vinculada a segurança diz respeito a instalação em ambiente não térreos, isso é, sobrados e prédios, e agora vale a pensar, e até olhar no ambiente externo em volta de você, pois certamente você já viu aquela maxim-ar aberta lá no alto projetada para fora do prédio, correto?! E qual o problema? Bem, digamos que em algum momento o vidro desta janela estoura, não é comum, mas pode acontecer, correto... Devido à gravidade este vidro vai descer, alcançando o chão com uma velocidade impressionante, e lembre-se se fui utilizado um vidro comum, são lâminas afiadas caindo do céu... Talvez, venha daí a expressão chovendo canivetes... bem para evitar este tipo de situação, opte sempre por vidros de segurança neste tipo de janela.

Outra questão que deve ser levada em consideração neste tipo de janela é a limitação de abertura e tamanho da folha. Não existe nada que impeça a criatividade e a utilização de folhas gigantes, mas estas por ter terem o movimento descrito a cima, dependendo da corrente de ar, dias de tempestade ou vento forte podem oferecer uma dificuldade de abertura, exigindo uma força sobre humana para tal ação, o mesmo cuidado deve ser tomado com a limitação de abertura, tendo em vista que para fazer o fechamento você necessita alcançar a maçaneta, não é interessante que a janela se projete mais do que 20cm para fora do peitoril.

 

Janela girar e tombar / oscilo-batente

Essa é a tipologia que fez a fama da Janela de PVC no Brasil, afinal este material é tido como europeu, e é este modelo, disparadamente, o mais utilizado nos países do velho mundo. Para muitas pessoas pode parecer mágica uma janela que além de girar tradicionalmente ainda fica oscila (tomba) permitindo a circular de ar no ambiente. Mas cada uma das duas possibilidades de abertura tem sua utilização, e vamos agora entender o funcionamento...

 

Normalmente a janela só é aberta na posição giro quando se precisa fazer manutenção de limpeza no vidro, então se abre e tem-se acesso a toda a superfície externa.

A posição tombar como citado na tipologia de movimento exclusivo deste, tem como função principal a circulação de ar no ambiente. Atente-se que circulação de ar é diferente de ventilação, apesar de parecerem sinônimos não são, enquanto uma janela de correr ou de giro ao se abri permite a ventilação, o vento pode entrar trazendo sujidades diretamente do exterior nos modelos de tomar a folha faz uma barreira e o que adentra ao ambiente é o ar, que tende a circular pois encontra-se em temperatura diferente da interna tornando assim a corrente natural.

Muitos se perguntam sobre a segurança deste modelo, e podemos dizer que por possuir pelo menos 4 pontos de travamento, podendo chegar até 8 em casos especiais, e por não permitir que a maçaneta se movimente enquanto a janela encontra-se aberta, é um modelo de segurança superior. Mas lembre-se nada é inviolável, quando falamos em segurança, significa que o tempo de arrombamento deste tipo de janela é superior ao tempo de arrombamento de uma janela de correr por exemplo. A segurança é medida em tempo, pois os ladrões fazem uso do efeito surpresa quando querem adentrar uma residência, isso significa que quanto mais tempo eles consumirem tentando arrombar uma janela, maior é a chance de serem apanhados.

Janela de correr paralela e de tombar

Essa é uma tipologia ainda pouco utilizada, mas que resolve as questões de economia de espaço exigidas que normalmente se usam janelas de correr, porém com todo o desempenho de janelas de giro. Na verdade, a folha desta janela ao se movimentar se projeta para fora do vão e corre paralelamente a ele, semelhante a uma porta de van (uma Kombi, por exemplo). Então você tem a janela com movimentação rente ao vão, e no momento do fechamento a pressão entre as borrachas. Como forma de complementação ela permite seu descanso na posição tombar, dando à abertura perfeita para circulação de ar que evita a entrada de sujidades.

Janela Camarão ou Sanfonada

É formada por duas ou mais folhas articuladas entre si, que no momento da abertura acabam em um movimento de dobradura, devido ao deslizar de seus eixos horizontais e forma de rotação.

Apesar de vastamente utilizadas em sistemas de vidros para fechamentos de sacadas esta tipologia quando extrapolada para as janelas de PVC traz um desempenho diferenciado atingido pela utilização de acessórios específicos para seu funcionamento, normalmente comporto por trilhos, roldanas e dobradiças que fazem com a faz folhas deslizem e que ao momento de fechamento o desempenho seja um dos melhores existentes, tendo em vista a quantidade de perfis empregados e os diversos pontos de travamento desenvolvidos para tal finalidade.

O motivo pelo qual o seu uso ainda não é difundido é que o seu grande diferencial ao contrário do que muitos pensam não é a economia de espaço, afinal como o perfil de PVC é robusto quando as folhas são colocadas abertas acabam ocupando um espaço significativo, porém o desempenho acústico é o que compensa o investimento nesta que é uma das tipologias mais onerosas disponíveis no mercado hoje.

Elevadora

As portas gigantes em PVC têm encantado consumidores e arquitetos ao longo dos anos. Cada vez maiores, o sonho de todos é uma porta Elevadora, também conhecida como alçante. E esta tipologia não é só destaque aqui, ela é desejada e considerada especial ao redor do mundo.

A sua movimentação é de correr sobre um trilho, mas o sistema especial de ferragem faz com que ela suporte pesos que podem ultrapassar facilmente 200kg por folha. A maçaneta trabalha como uma alavanca que ao ser acionada levanta a folha sobre as roldanas e permite o movimento em um leve deslizar, ao retornar (a maçaneta) à posição de descanso a folha comprimindo o marco inferior.

 

 

background-image

Vai comprar janelas?

Nós ajudamos você a encontrar os melhores fornecedores do Brasil.
Solicite um orçamento grátis através de nosso site.